2017: o ano para investir em comunicação

Originalmente postado em Agência Life.

No balanço de 2016, mesmo ainda antes de o ano terminar, já era possível ver que as vendas caíram e o lucro foi reduzido na maior parte dos segmentos do mercado. Infelizmente, os resultados mais graves não são culpa apenas da economia ou de uma crise política, mais uma consequência do perfil predominante do investidor brasileiro: conservador, que deixa de investir em comunicação.

As empresas que continuaram investindo em marketing e ações de comunicação até podem não ter tido resultados exorbitantes, mas certamente elas não perderam muito do seu famoso market share − aquele grau de participação de uma empresa no mercado, em termos das vendas de um determinado produto. E, além disso, elas ainda terão mais facilidade de retomarem os resultados anteriores do que os concorrentes que, por ventura, optaram pela estratégia de reter os investimentos e economizar os recursos destinados à comunicação.

Por que é tão importante investir em comunicação?

Sabemos que se a sua empresa não investir em comunicação (tanto ações de publicidade e propaganda off-line como digital), o seu produto continuará tendo a mesma qualidade. E, se for um bom produto ou com poucos concorrentes, terá uma maior participação no mercado. Mas, se como a sua empresa, outras também oferecerem o mesmo produto e com qualidade similar? Sem comunicação, o consumidor não saberá qual deles escolher. Nesse cenário, bem como o nosso redator André disse no último blog post, a comunicação e o marketing assumem o papel de criar significado e de elevar o patamar do seu produto perante o mercado.

Acho que todos se lembram daqueles famosos chinelos de tiras que eram usados apenas no banheiro de casa, para tomar banho, e que hoje se tornaram produtos de ponta, mundialmente conhecidos e até peças aceitáveis em um look casual e moderno para uma festa refinada. O produto continua basicamente o mesmo. Houve sim algumas adaptações de design, outras cores além do preto e azul foram adicionadas à borracha branca, mas a principal mudança se deu nas estratégias de marketing e nas ações de comunicação.

O significado do produto foi alterado e subiu no conceito do consumidor. Afinal, certamente não é o nome daquela praia famosa do Rio de Janeiro – Ipanema, também o nome de um dos principais concorrentes desse tal produto − que surge na sua mente ao falarmos de chinelos de tiras. Não é?

E por que investir em 2017?

No último mês do ano passado, pipocaram manchetes sobre a redução das projeções de crescimento da economia para este ano. Os mais otimistas dizem que, em relação a 2016, este ano será brandamente melhor. A partir daí, já podemos prever que nenhum milagre irá acontecer na economia brasileira. Portanto, é preciso trabalhar muito para alcançar nossos objetivos e não deixar a peteca, digo, as metas de vendas caírem.

E qual a melhor forma para vender?

É justamente anunciar, divulgar – ou como dizem no popular: colocar a cara do seu produto no sol. Então, aproveite estes primeiros dias do ano e se reúna com a sua equipe de vendas e marketing ou com profissionais do mercado para estabelecer um projeto para 2017. Aposte nas mídias sociais para se comunicar com o seu público, mas não se esqueça das estratégias off (mídias eletrônicas e impressas). Use a comunicação para fidelizar e incorporar as ideias ou demandas do seu consumidor para melhorar o seu produto/serviço. Estabeleça um diálogo com quem compra a sua marca e, assim como em um casamento, alimente esse relacionamento, procurando conquistá-lo a cada dia. Afinal, os seus concorrentes certamente estão por todos os cantos e seduzindo os seus melhores compradores.

Compartilhe:
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com