Empreendedorismo Verde

Há alguns anos, muito se fala sobre sustentabilidade, mas ainda é possível ver pessoas praticando ações nada ecologicamente corretas, como desperdiçar água da máquina de lavar quando poderia ser reaproveitada para a descarga do vaso sanitário ou lavar o quintal. Contudo, já passou do tempo da humanidade ser sustentável. A “onda verde” precisa estar presente no dia a dia das pessoas e nos projetos empreendedores. Não basta termos dezenas de start up de tecnologia criando centenas de produtos e serviços inovadores se no futuro não tivermos um meio ambiente adequado para a plena vida da humanidade.

Empreendedorismo Verde

Nada mais é que ações empresariais, geralmente inovadoras ou que propõe melhorias, em prol da preservação do meio ambiente e da sustentabilidade da humanidade. Um exemplo que nem todos veem como empreendedorismo verde, mas que ilustra bem isso é uma medida do governo francês de coibir o desperdício de alimentos. Através da lei proposta, os grandes supermercados da França não poderão mais descartar produtos perecíveis no lixo. Estas empresas terão que doar tais produtos para alimentação animal ou fabricação de adubo. Veja matéria sobre isso no El Pais e na Reuters. Estima-se o reaproveitamento de bilhões de euros por ano, segundo a Reuters. Segundo o Sebrae SP, “inovação e sustentabilidade são conceitos cada vez mais valorizados no ambiente corporativo”.

Bons exemplos de empreendedorismo sustentável

Eco Side

A Eco Side é uma empresa de brindes publicitários que busca inovações ecologicamente corretas utilizando materiais reciclados, fornecedores sustentáveis e que não utilizam mão de obra indevida. A missão da empresa é bem objetiva: desenvolver projetos para as áreas corporativas e promocionais utilizando materiais reciclados para preservação da natureza. Bem condizente com o que Philip Kotler prega em seu livro Marketing 3.0: aplicação de marketing de valores junto aos empregados/fornecedores e marketing de missão junto aos consumidores.

Lápis de papel reciclado.

Tiê Ecológica

Inovadora no setor da moda, a Tiê afirma embasar sua filosofia na sustentabilidade e no consumo consciente. Para honrar a tal moda sustentável, a empresa utiliza, principalmente, materiais de procedência orgânica ou material reciclado, como: algodão orgânico e naturalmente colorido, malha de Pet, couro de peixe, fibra de bambu, capsulas de café, jeans reciclado e fibra de pneu, entre outros. O próprio nome da empresa é inspirado em um pássaro.

Urna Bios

Trata-se do mito da imortalidade adaptado. Obviamente não se trata de prolongar a existência de ninguém, mas de transformar os restos mortais de alguém em outro ser vivente, uma árvore. A Urna Bios funciona como uma espécie de composto orgânico para adubar uma semente, previamente escolhida. Sua composição de casca de coco, celulose e turfa não prejudica a natureza e, juntamente com as cinzas humanas, abastecem a futura planta com os nutrientes necessários.

Urna mortuária ecológica.

Auto Spa Express

Dezenas de litros de água para lavar o carro? Nunca mais. É o que promete a rede de franquias do segmento automotivo que realiza a limpeza do seu carro através de um produto com cera de carnaúba. Segundo o site da Auto Spa Express, o produto age amolecendo a sujeira, facilitando na remoção sem o perigo de arranhar ou riscar a pintura e o uso frequente oferece proteção extra para a pintura do carro, evitando que sujeira se acumule.

Florestando

Inovar nem sempre quer dizer criar algo novo. Pode ser, simplesmente, melhorar uma ideia já existente. Foi isso que a Florestando fez com uma forma de reflorestamento: a bolota viva. O produto em questão nada mais é que terra, composto orgânico e sementes. Mas, como fazer algo tão barato e sem valor substancial ser vendável? Simples: aproveitar o mercado de sustentabilidade e do ecologicamente correto. Como a tal bolota viva é algo bem prático, que não exige plantio, empresas e eventos com foco neste mercado costumam fazer encomendas do produto, repassando-o como brindes ecológico.

Vending machines de bolotas vivas.

Nichos verdes

Em todas áreas de mercado é possível implementar ações de sustentabilidade. Contudo, existem cinco principais nichos para o empreendedorismo verde:

  • Tecnologias verdes: técnicas que relacionam os padrões de consumo com práticas ecologicamente corretas. Ex.: Gadgets que não degradam o meio ambiente;
  • Metas globais: compreender e buscar soluções para os principais problemas da humanidade. Ex.: escassez de alimentos;
  • Educação ambiental: debates e produção de conteúdos que estimulam a reflexão sócio-política que envolvem a preservação da natureza. Ex,: coleta seletiva;
  • Energia renovável: desenvolvimento e aprimoramento de fontes de energias ecologicamente corretas. Ex,: energia eólica;
  • Água potável e saneamento: estudo e desenvolvimento de ações que aperfeiçoam o sistema de saneamento básico e proteja as fontes de água potável. Ex.: equipamento que transforma água contaminada em água consumível.

 

Caminhos são muitos. Basta o empreendedor querer, se dedicar e já começar com o pé direito na “onda verde”. Então, por que não aproveitar a Semana Mundial do Meio Ambiente e o dia 5 de junho (Dia Mundial do Meio Ambiente) para direcionar nossas inovações rumo a sustentabilidade?

Compartilhe:
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com